Posted:
Não seria ótimo se você pudesse rastrear onde o conteúdo indexado do seu aplicativo é exibido nos resultados da pesquisa e para quais consultas? Saber quais páginas do aplicativo são as mais populares e quais apresentam erros? Pois é, nós também achamos. Por isso, equipamos nosso recém-renomeado Search Console com novos relatórios que mostram como o Google compreende e trata o conteúdo do seu aplicativo nos resultados da pesquisa.

Nossa meta é fazer do Search Console uma fonte completa de informações para todos os que se importam com a pesquisa, independentemente do formato do conteúdo. Portanto, se você possui ou desenvolve um aplicativo, o Search Console será seu novo ponto de referência para buscar estatísticas de pesquisa.

Adicione seu aplicativo ao Search Console

Basta abrir o Search Console e inserir o nome do seu aplicativo: android-app://com.example. Exibiremos os dados somente aos proprietários autorizados do aplicativo, por isso você precisa usar sua conta do Google Play para que o Search Console reconheça seu acesso ao aplicativo. Se você não tiver acesso ao aplicativo no Google Play, solicite que um proprietário verifique o aplicativo no Search Console e, então, adicione você.

Conecte seu site ao aplicativo

A associação do seu site com o aplicativo é necessária para que a Indexação de Aplicativos funcione. Além disso, essa associação ajuda a classificar e compreender melhor o conteúdo do aplicativo.

Rastreie o desempenho do conteúdo do seu aplicativo na pesquisa

O novo relatório de Search Analytics fornece informações detalhadas sobre as principais consultas e páginas de aplicativos, assim como tráfego por país. Ele também apresenta um conjunto abrangente de filtros, permitindo que você limite um tipo específico de consulta ou de região, além de classificar por cliques, impressões, posições e taxas de cliques (CTRs, na sigla em inglês).


Use o relatório de Search Analytics para comparar o conteúdo do aplicativo que você considera mais importante com o que é realmente exibido na pesquisa e recebe a maioria dos cliques. Se eles coincidirem, isso indicará que você está no caminho certo. Seus usuários conseguem encontrar e gostam daquilo que você deseja que eles vejam. Se houver pouca sobreposição, talvez seja necessário que você reestruture sua navegação ou deixe o conteúdo de maior importância mais fácil de ser encontrado. Nesse caso, também é importante conferir se você forneceu links diretos a todos os conteúdos do aplicativo que você deseja que seus usuários encontrem.

Certifique-se de que o Google compreende o conteúdo do seu aplicativo

Se encontrarmos erros ao indexar o conteúdo do seu aplicativo, não será possível exibir links diretos para as páginas desses aplicativos nos resultados da pesquisa. O relatório de erros de rastreamento mostrará o tipo e o número de erros que detectamos.

Visualize o conteúdo do seu aplicativo da maneira como o Google o vê

Criamos uma versão alfa da ferramenta Buscar como o Google para aplicativos a fim de ajudar você a verificar se o URI de um aplicativo funciona e ver como o Google faz o processamento dele. A ferramenta também pode ser útil na comparação do conteúdo do aplicativo com o da página da web, no intuito de depurar erros como incompatibilidade de conteúdo. Em muitos casos, os erros de incompatibilidade são causados por recursos bloqueados no aplicativo ou pop-ups solicitando que os usuários façam registro ou login. Agora é possível ver e resolver esses problemas.


Para dar os primeiros passos na otimização e solução de problemas nos seus aplicativos, adicione-os agora ao Search Console. Se você desejar saber mais sobre a Indexação de Aplicativos, acesse o site do Google Developers. Como sempre, fique à vontade para visitar o Fórum de Ajuda para Webmasters e tirar outras dúvidas.

Postado por Hillel Maoz, líder de engenharia, Equipe do Search Console. Aplicativo favorito: Flipboard
Mariya Moeva, analista de tendências para webmasters. Aplicativo favorito: Spotify

Posted:
Por quase 10 anos, as Ferramentas do Google para Webmasters têm fornecido ferramentas e métricas em constante evolução para ajudar os usuários a criar websites fantásticos, que nossos sistemas adoram exibir na Pesquisa Google. No último ano, procuramos saber mais sobre vocês, usuários leais das Ferramentas do Google para Webmasters: queríamos entender seu papel e seus objetivos a fim de tornar nosso produto mais útil para você.

Descobrimos que a definição tradicional de “webmaster” representa somente alguns de vocês. Temos todos os tipos de fãs das Ferramentas do Google para Webmasters: amadores, proprietários de pequenas empresas, especialistas em SEO, profissionais de marketing, programadores, designers, desenvolvedores de aplicativos e, é claro, webmasters. O que todos vocês têm em comum é o desejo de disponibilizar seu trabalho on-line e torná-lo fácil de encontrar pela Pesquisa Google. Assim, para termos certeza de que nosso produto inclui todos aqueles que se importam com a pesquisa, decidimos renomear as Ferramentas do Google para Webmasters, que agora se chama Google Search Console.

Desejamos um futuro emocionante com o Google Search Console e esperamos ver usuários de todos os tipos, incluindo webmasters, visitando e usando nosso serviço para diagnosticar e melhorar a visibilidade de seus conteúdos na pesquisa. Lançaremos a marca atualizada em todo o produto nas próximas semanas, então fique ligado.

Basta acessar g.co/SearchConsole para dar os primeiros passos.

Postado por Michael Fink, gerente de produtos do Google Search Console

Posted:
A marcação de dados estruturados ajuda seu conteúdo a ser descoberto nos resultados de busca e em propriedades do Google. Queremos compartilhar algumas atualizações que foram lançadas no início do ano para ajudá-lo a criar e publicar marcações em seu site:
Ferramenta de Testes de Dados Estruturados (Structured Data Testing Tool)

A nova Ferramenta de Testes de Dados Estruturados (Structured Data Testing Tool) reflete melhor como o Google interpreta a marcação de dados estruturados de uma página web.

A ferramenta oferece os seguintes recursos:
  • Validação para todos os recursos do Google alimentados por dados estruturados
  • Suporte para marcações na sintaxe JSON-LD, incluindo páginas HTML dinâmicas
  • Exibição mais limpa dos itens de dados estruturados na sua página
  • Destaque da sintaxe dos problemas de marcação diretamente no seu código fonte HTML

Nova documentação e política mais simples

Tornamos mais clara nossa documentação para o vocabulário suportado em dados estruturados com base no feedback que recebemos de webmasters. A nova documentação (disponível em inglês) explica qual marcação você precisa adicionar para permitir diferentes recursos de pesquisa para o seu conteúdo, juntamente com exemplos de código nas sintaxes suportadas. A documentação antiga será descontinuada em breve.

Também simplificamos e tornamos mais claras nossas políticas sobre o uso de dados estruturados. Se você acredita que outro site está abusando das diretrizes de qualidade de rich snippets do Google, entre em contato conosco por meio do formulário para denunciar spam em rich snippets.

Suporte ampliado para JSON-LD

Ampliamos nosso suporte para o vocabulário schema.org na sintaxe JSON-LD para novos casos de uso: logotipos de empresas e contatos, links de perfis em redes sociais, eventos no Mapa do Conhecimento, caixa de pesquisa de sitelinks e eventos de rich snippets. Estamos trabalhando para ampliar o suporte para outros recursos de marcação.

Como sempre, compartilhe seu feedback e faça suas perguntas no Fórum de Ajuda para Webmasters.

Postado por Pierre Far, Analista de Tendências de Webmasters; Tatsiana Sakhar, Analista de Qualidade de Pesquisa e Zach Clifford, Engenheiro de Software

Posted:


Se você gerencia um website, precisa entender profundamente como os usuários encontram seu site e como seu conteúdo aparece nos resultados de pesquisa do Google. Até agora, esses dados eram exibidos no relatório de Consultas de Pesquisa, provavelmente o recurso mais usado nas Ferramentas do Google para webmasters. Ao longo dos anos, ouvimos suas opiniões e solicitações de recursos. Quantos de vocês queriam comparar o tráfego em computadores desktop e dispositivos móveis? Quantos de vocês precisavam comparar métricas em países diferentes? Ou em períodos de tempo diferentes?

Suas vozes foram ouvidas. Hoje, temos a satisfação de anunciar o Search Analytics (relatório de Análise de Pesquisas), o novo relatório nas Ferramentas do Google para webmasters que permitirá a você aproveitar o máximo da análise de tráfego para o seu site. Esse novo relatório permite que você analise os dados de pesquisa do seu site detalhadamente e filtre-os de muitas maneiras diferentes a fim de analisá-los com maior precisão. Por exemplo, agora é possível comparar seu tráfego antes e depois da atualização de 21 de abril nos dispositivos móveis e ver como ela afetou o tráfego.


Se você possuir um website internacional, agora será possível encontrar os países onde as pessoas mais pesquisam sua marca. Para isso, escolha "impressões" como sua métrica, filtre pelo nome da sua marca e agrupe os resultados por país para exibir uma lista de impressões organizada por país.


Esses são apenas dois exemplos entre muitos outros. O Search Analytics (relatório de Análise de Pesquisas) permite ir mais além na análise do seu tráfego e ajuda você a tomar as melhores decisões para o desempenho do seu website.

Existem algumas diferenças entre o Search Analytics (relatório de Análise de Pesquisas) e o Consultas de Pesquisa. Os dados do Search Analytics (relatório de Análise de Pesquisas) são muito mais precisos do que aqueles disponíveis no antigo relatório de Consultas de Pesquisa, além de serem calculados de maneiras distintas. Para saber mais, leia a seção Sobre os Dados do artigo sobre o Search Analytics (relatório de Análise de Pesquisas) da Central de Ajuda. Como sabemos que alguns de vocês ainda precisarão usar o relatório antigo, decidimos deixá-lo disponível nas Ferramentas do Google para webmasters por mais três meses. Para saber mais sobre o Search Analytics (relatório de Análise de Pesquisas), leia nosso artigo na Central de Ajuda.

Esperamos que o novo relatório seja útil para suas análises de tráfego. Compartilhe sua opinião nos comentários abaixo ou em nossa página do Google+ para webmasters. Se tiver dúvidas ou precisar de ajuda com o relatório, acesse nosso Fórum de Ajuda para webmasters.

Por fim, agradecemos a todos os trusted testers e aos Principais Colaboradores dos fóruns para webmasters que dedicaram seu tempo para testar a versão alfa do Search Analytics (relatório de Análise de Pesquisas) e nos ajudaram a criar um ótimo relatório. Não teríamos conseguido fazer um trabalho tão bom sem suas opiniões e sugestões. Vocês são incríveis!

Postado por Zineb em nome dos incríveis engenheiros e UX designers das Ferramentas do Google para webmasters.

Posted:
Você investiu tempo e se esforçou para criar um aplicativo que proporcione uma experiência incrível para os usuários, e nós queremos ajudá-los a encontrar o conteúdo que você desenvolveu. A Indexação de Aplicativos já está ajudando as pessoas a se envolver com o seu aplicativo Android depois que elas fazem a instalação - já temos 30 bilhões de links dentro de aplicativos indexados. Agora, quem fizer uma busca no Google também pode encontrar o aplicativo que você desenvolveu, mesmo que ainda não o tenha instalado.

Se você implementou a Indexação de Aplicativos, quando o conteúdo indexado do seu aplicativo for relevante para uma busca feita no Google a partir de dispositivos Android, as pessoas poderão ver botões de instalação do seu aplicativo nos resultados de busca. Ao tocar nesses botões os usuários serão levados para a Google Play Store, onde poderão instalar o seu aplicativo, e depois seguirão diretamente para o conteúdo correto dentro dele.

Com a adição desses links para instalação dos aplicativos, começamos a usar a Indexação de Aplicativos como um sinal de classificação no ranking para todos os usuários de dispositivos Android, independentemente de terem ou não o seu aplicativo instalado. Esperamos que a busca agora ajude na aquisição de novos usuários, assim como volte a engajar os já existentes. Para começar, visite g.co/AppIndexing. Para saber mais sobre outras maneiras de fazer integrações com a busca do Google, acesse g.co/DeveloperSearch.

Postado por Lawrence Chang, Gerente de Produtos

Posted:
Usuários de diversas partes do mundo acompanharam a campanha #MobileMadness, uma iniciativa global para ajudar a preparar webmasters para a atualização nos resultados de buscas feitas a partir de dispositivos móveis que foi lançada no dia 21 de abril. A campanha, que teve um mês de duração, incluiu apresentações por Hangout, uma sessão de Q&A, pesquisas, dicas e um desafio de 30 dias para tornar os sites compatíveis com dispositivos móveis. Confira tudo o que aconteceu!

Apresentação para PMEs: Otimize sua estratégia online e seu desempenho na busca
Nesta apresentação, aprenda a criar sua estratégia online, medir sua performance na busca e escolher o parceiro correto para desenvolver e gerenciar seu site compatível com dispositivos móveis. Os três tópicos abordados são:
  1. Como escolher o canal online correto
  2. Ferramentas do Google para Webmasters
  3. SEO como estratégia de longo prazo

Série de quatro apresentações: Noções básicas de um site mobile para PMEs
Se você é dono de uma pequena ou média empresa, essa série de apresentações ira ajudá-lo e entender como é fácil criar sites compatíveis com dispositivos móveis.
Os temas das quatro apresentações são:
  1. Conheça as ferramentas: PageSpeed Insights, Teste de Compatibilidade com Dispositivos Móveis e Facilidade de Uso em Dispositivos Móveis (assista o Hangout)
  2. Melhore a visualização: Viewports, zoom e plugins (assista o Hangout)
  3. Concentre-se no usuário: Pontos de toque, margens e tamanhos da fonte (assista o Hangout)
  4. Configure corretamente: Redirecionamentos e URLs canônicos (assista o Hangout)
Q&A: Sessão de perguntas e respostas
Confira o Hangout em que respondemos a suas perguntas sobre a mudança no ranking para sites compatíveis com dispositivos móveis.

Resultados das pesquisas
Centenas de pessoas responderam às pesquisas. O que você acha dos resultados? Surpreendentes ou previsíveis?

Qual dispositivo você está usando para ler este post?
Cerca de 470 pessoas responderam à pesquisa. A diferença entre aparelho celular/smartphone e desktop/laptop foi de cerca de 50 votos (confira no G+ e no Twitter)

O que mais te incomoda quando você navega na web usando algum dispositivo móvel?
Cerca de 190 respostas a essa pergunta. 40% das pessoas acham que o principal problema são os vídeos que não podem ser reproduzidos (confira no G+ e no Twitter)

Qual é a maior dificuldade para se criar um site compatível com dispositivos móveis?
Mais de 130 respostas para essa pergunta. Quase metade dos usuários acha que não é difícil criar um site compatível com dispositivos móveis (confira no G+ e no Twitter)


Dicas #MobileFriendly
Confira algumas dicas que compartilhamos para ajudá-lo a criar sites com dispositivos móveis.
(confira no G+ e no Twitter)

(confira no G+ e no Twitter)


Página #MobileFriendly
Confira e compartilhe a página com os cinco passos para criar sites compatíveis com dispositivos móveis.
Resultado do desafio para tornar seu site compatível com dispositivos móveis em 30 dias
Muitas pessoas aceitaram nosso desafio para tornar seus sites compatíveis com dispositivos móveis em 30 dias. Veja como elas se saíram ao final do desafio:

Agradecemos a todos que participaram da campanha #MobileMadness! Não se esqueçam de fazer o Teste de Compatibilidade com Dispositivos Móveis, conferir o relatório de usabilidade em dispositivos móveis e ler o nosso Guia de Dipositivos Móveis. Como sempre, acesse o nosso Fórum de Ajuda para Webmasters se tiver alguma dúvida.

Postado por Mary Chen e Diogo Botelho, Webmaster Outreach

Posted:
A atualização de compatibilidade com dispositivos móveis foi lançada hoje e gostaríamos de compartilhar respostas a algumas perguntas frequentes. Em fevereiro, anunciamos que essa atualização otimizará as classificações de páginas compatíveis com dispositivos móveis (ou seja, páginas que podem ser claramente lidas e usadas neles) em resultados de pesquisa para esses dispositivos no mundo todo. Inversamente, as páginas desenvolvidas apenas para telas grandes podem ter uma queda significativa nos resultados de pesquisas para dispositivos móveis. Para entender melhor tudo isso, confira aqui algumas das perguntas frequentes:

Perguntas frequentes gerais


1. As classificações em computadores desktop e/ou tablets também serão afetadas por essa alteração?

Não, essa atualização não tem efeito em pesquisas feitas em tablets ou computadores desktop. Ela afeta as pesquisas feitas em dispositivos móveis em todos os idiomas e locais.


2. Isso é um aumento de classificação no nível da página ou do site?

Essa é uma alteração no nível da página. Por exemplo, caso 10 páginas do seu site sejam compatíveis com dispositivos móveis, mas as outras não, somente essas 10 páginas sofrerão o impacto positivo.


3. Como eu sei que o Google considera uma página do meu site compatível com dispositivos móveis?

Cada página pode ser testada individualmente usando o Teste de compatibilidade com dispositivos móveis.
Screen Shot 2015-04-21 at 15.56.42.png
Teste os URLs individualmente em tempo real com o Teste de compatibilidade com dispositivos móveis.

Para analisar informações de compatibilidade com dispositivos móveis no nível do site, confira o relatório Usabilidade em dispositivos móveis nas Ferramentas do Google para webmasters. Os dados desse recurso são baseados na última vez em que rastreamos e indexamos as páginas do seu site.

Screen Shot 2015-04-21 at 15.58.49.png
A usabilidade em dispositivos móveis nas Ferramentas do Google para webmasters oferece um resumo da compatibilidade com dispositivos móveis de todo o seu site.

4. Minhas páginas compatíveis com dispositivos móveis ainda não estão prontas. Quanto tempo levará até que elas sejam consideradas compatíveis com dispositivos móveis na classificação?

Determinamos se uma página é ou não compatível com dispositivos móveis cada vez que a rastreamos e a indexamos. Não será preciso esperar por outra atualização. Quando uma página é compatível com dispositivos móveis, o Googlebot para smartphones (artigo em inglês) naturalmente rastreará a página outra vez e a indexará. Também é possível agilizar o processo usando a ferramenta Buscar como o Google com a opção "Enviar ao índice" nas Ferramentas do Google para webmasters. Para um volume grande de URLs, considere enviar um sitemap. No sitemap, caso seu conteúdo para dispositivos móveis use URLs preexistentes (como com Web design responsivo ou veiculação dinâmica), inclua também a tag lastmod.


5. Considerando que a alteração relacionada à classificação em dispositivos móveis foi lançada no dia 21 de abril, caso eu não note quedas no tráfego no dia 22, isso significa que as classificações do meu site não foram afetadas?

No dia 22 de abril, não será possível determinar se as classificações do seu site foram afetadas pela atualização de compatibilidade com dispositivos móveis. O lançamento da atualização aconteceu no dia 21 de abril, mas levará mais ou menos uma semana até que ela alcance todas as páginas no índice.


6. Tenho um ótimo site para dispositivos móveis, mas o teste de compatibilidade diz que minhas páginas não são compatíveis com dispositivos móveis. Por quê?

Caso uma página seja projetada para funcionar bem em dispositivos móveis, mas não passe no teste de compatibilidade, o motivo mais comum para isso é o rastreamento do Googlebot para smartphones estar bloqueado para recursos como CSS e JavaScript. Esses recursos são cruciais para determinar se uma página pode ser lida e usada em um dispositivo móvel (ou seja, se ela é compatível com dispositivos móveis). Para resolver isso:
  1. Verifique se o teste de compatibilidade com dispositivos móveis mostra recursos bloqueados (geralmente acompanhados de uma imagem parcialmente processada).
  2. Permita que o Googlebot rastreie os arquivos necessários.
  3. Confira com atenção se a página passou no teste de compatibilidade com dispositivos móveis.
  4. Use o recurso Buscar como o Google com a opção "Enviar ao índice" e envie seus robots.txt atualizados para o Google para agilizar o reprocessamento da página atualizada. Outra opção é esperar que o Google naturalmente faça um novo rastreamento e uma nova indexação.
Mobile_friendly_FAQ.PNG
O motivo mais comum para uma página não passar no teste de compatibilidade com dispositivos móveis é o rastreamento do Googlebot para smartphones poder estar bloqueado para recursos como CSS e JavaScript, que são cruciais para interpretar a compatibilidade da página.

Para reiterar, recomendamos que os proprietários do site permitam que o Googlebot rastreie todos os recursos da página (incluindo CSS, JavaScript e imagens) para que possamos processar e indexar a página adequadamente e, neste caso, avaliar se ela é compatível com dispositivos móveis.


7. E se eu incluir links para sites que não são compatíveis com dispositivos móveis?

Sua página ainda poderá ser "compatível com dispositivos móveis" mesmo que tenha links direcionando para páginas não compatíveis com dispositivos móveis - por exemplo, páginas projetadas para telas maiores, como computadores desktop. Não será uma experiência agradável para o usuário ir de uma página compatível com dispositivos móveis para outra compatível somente com computadores desktop. No entanto, acreditamos que, conforme mais sites tornem-se compatíveis com dispositivos móveis, esse problema diminuirá.


8. O Google oferece uma classificação melhor de compatibilidade com dispositivos móveis a páginas que usam o Web design responsivo (que usa o mesmo URL e o mesmo HTML para as versões de computadores desktop e de dispositivos móveis) em relação à hospedagem separada de dispositivos móveis (como www para computadores desktop e m.example.com para dispositivos móveis)?

Não, a compatibilidade com dispositivos móveis é avaliada da mesma forma, independentemente de você usar o Web design responsivo (RWD, na sigla em inglês), URLs separados para dispositivos móveis ou a veiculação dinâmica para sua configuração. Caso seu site use URLs para dispositivos móveis separados ou veiculação dinâmica, recomendamos que você revise o guia SEO para dispositivos móveis a fim de garantir que o Google esteja rastreando e indexando adequadamente suas páginas para dispositivos móveis.


9. Meu site/página vai desaparecer dos resultados de busca em dispositivos móveis se não forem compatíveis com esses dispositivos?

Enquanto a atualização de compatibilidade com dispositivos móveis é importante, ainda levamos em consideração uma grande variedade de fatores para classificar os resultados de cada pesquisa. A intenção da busca ainda é um fator muito significativo -- por isso, mesmo que uma página com um conteúdo de alta qualidade não seja compatível com dispositivos móveis, ela ainda pode ter uma boa classificação no ranking se tiver conteúdo relevante para aquela consulta específica.

Perguntas frequentes especializadas


10. E se meu público acessar o site somente por computadores desktop? Nesse caso, não há motivo para que eu tenha um site compatível com dispositivos móveis, certo?

Não exatamente. As estatísticas mostram que cada vez mais pessoas usam somente dispositivos móveis, seja por nunca terem tido um computador desktop ou porque não substituirão o computador que possuem no momento. Além disso, um site que não é compatível com dispositivos móveis pode não ter muitos acessos a partir desses dispositivos justamente por esse motivo.

A atualização de compatibilidade com dispositivos móveis será aplicada a pesquisas para esses dispositivos conduzidas em todos os sites. Isso acontecerá independentemente do idioma e da região dos públicos-alvo do site, bem como da proporção de tráfego de dispositivos móveis para computadores desktop.


11. Tenho páginas que mostram erros de usabilidade em dispositivos móveis porque elas têm um vídeo do YouTube incorporado. O que posso fazer?

Sugerimos prestar bastante atenção à maneira como o vídeo do YouTube está incorporado. Caso você use as incorporações <object> de estilo antigo na página para dispositivos móveis, converta-as para incorporações <iframe> a fim de ter uma compatibilidade mais abrangente. O YouTube agora usa o player de HTML5 na Web por padrão. Portanto, é compatível com dispositivos móveis incorporar vídeos usando as tags <iframe> do recurso "compartilhar" na página de exibição ou na YouTube iFrame API. Se você tiver uma integração mais complexa, essa também deverá ser compatível com dispositivos móveis, pois ela instruirá o dispositivo a usar o suporte nativo dele.

Para conteúdo em Flash de outros sites que não sejam o YouTube, verifique se há uma tag incorporada de HTML5 equivalente ou um snippet de código para evitar o uso de plug-ins reservados.


12. Há um padrão claro para definir o tamanho das áreas de toque?

Sim, sugerimos um tamanho mínimo de 7 mm de largura/altura para os pontos de toque principais e uma margem mínima de 5 mm entre os pontos de toque secundários. A largura média da área do dedo de um adulto é de 10 mm, e essas dimensões podem proporcionar uma interface utilizável e um bom uso do espaço da tela.


13. Para tornar o site compatível com dispositivos móveis rapidamente, pensamos em criar uma versão mais leve dele (páginas separadas para dispositivos móveis) até que nosso novo site responsivo esteja pronto. Há algum problema com isso?

Primeiro, tenha em mente que nós oferecemos suporte a três configurações de dispositivos móveis e que seu site não precisa ser responsivo para ser compatível com dispositivos móveis. Em resposta à sua pergunta, pedimos que você seja cuidadoso ao criar uma versão mais leve do site. A página pode estar formatada para dispositivos móveis, mas, se ela não permitir que os visitantes realizem tarefas comuns ou não houver um fluxo de trabalho fluido em geral, isso poderá ser uma experiência frustrante para seus visitantes e talvez não compense o esforço.

Caso você crie um site temporário para dispositivos móveis, logo que o RWD for ativado, mova o site adequadamente. Por exemplo, atualize todos os links para a versão correspondente do RWD de maneira que eles deixem de referenciar URLs separados para dispositivos móveis e URLs de redirecionamento 301 para dispositivos móveis à sua versão de RWD correspondente.

Sessão de Perguntas e Respostas da campanha #MobileMadness

Durante o último mês fizemos uma série de Hangouts ao vivo para ajudar todas as pequenas e médias empresas a tornar seu site compatível com dispositivos móveis. Confira aqui a sessão de Perguntas e Respostas, onde mencionamos mais algumas perguntas frequentes:

Recomendações

Caso você não tenha experiência anterior com a criação de um site compatível com dispositivos móveis, saiba que não é tarde demais para começar. Confira nosso guia de Primeiros passos na documentação de websites compatíveis com dispositivos móveis.
Screen Shot 2015-04-21 at 15.59.49.png
Dê os primeiros passos com seu site para dispositivos móveis em https://developers.google.com/webmasters/mobile-sites/

Caso você já tenha um site para dispositivos móveis, analise o relatório Usabilidade em dispositivos móveis nas Ferramentas do Google para webmasters para garantir que o Google detecte as páginas do seu site como compatíveis com dispositivos móveis.

Você ainda tem dúvidas? Confira a seção "Mobile" no fórum para webmasters.

Postado por Maile Ohye, líder de Tecnologia e desenvolvimento de programas

Diogo Botelho